fbpx

O Mapa da Desigualdade no Comércio Eletrônico de São Paulo

  1. Início
  2. Análise
  3. O Mapa da Desigualdade no Comércio Eletrônico de São Paulo

O Mapa da Desigualdade no Comércio Eletrônico de São Paulo

Mapa da desigualdade: veja o perfil de consumo de Cidade Tiradentes e de Moema na Capital de São Paulo

Levantamento do Compre&Confie mostra as diferenças entre os hábitos de compra on-line entre ambos os bairros. Faixa etária, tíquete médio e tipo de produto comprado são as principais diferenças observadas. As diferenças entre os habitantes de Moema e Cidade Tiradentes foram recentemente evidenciadas no Mapa da Desigualdade, estudo feito pela Rede Nossa São Paulo periodicamente e que analisa a cidade de São Paulo sob 53 indicadores.

Além das divergências já evidenciadas em relação à qualidade de vida de ambos os bairros, o perfil de consumo de ambas as regiões também é bastante diferente: mas afinal, quão distantes estão os hábitos dos moradores desses bairros na hora de comprar online? Pensando em responder a essa pergunta, o Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, conduziu um estudo a respeito do assunto, com foco em dados de compra coletados durante o primeiro semestre de 2019.

Em primeiro lugar, a companhia apurou o total de vendas realizado em cada região: ao todo, foram feitos 28,4 mil pedidos de compras online no bairro nobre da zona sul durante os primeiros seis meses deste ano, ante 10,7 mil na região do extremo leste da capital paulista. Em dinheiro, o faturamento total das compras online de Moema durante o período analisado foi de R$ 11,8 milhões, mais do que o dobro de Cidade Tiradentes, de R$ 4,9 milhões.

“As diferenças de acesso, renda média dos moradores e hábitos de compra online em cada região ajudam a explicar a divergência, mesmo com o bairro do extremo leste da capital sendo significativamente mais populoso do que o da zona sul”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

Perfil do consumidor

Ao analisar o perfil de consumo em ambas as regiões, é possível notar a primeira diferença nas categorias mais consumidas pela internet em ambos os bairros: enquanto moradores de Moema compram mais itens de Moda e Acessórios, Beleza, Perfumaria e Saúde, Artigos para Casa, Livros e Móveis e Decoração, a maior quantidade dos pedidos em Cidade Tiradentes vem de Beleza, Perfumaria e Saúde, Recargas e Loterias, telefonia, além de Móveis, Construção e Decoração.

“O perfil de consumo está muito alinhando com os padrões de vida de cada região. Em Moema, os compradores buscam produtos mais relacionados a status, qualidade de vida e desenvolvimento pessoal. Já em Cidade Tiradentes, notamos uma busca por produtos de necessidades mais básicas, com destaque para telefonia, que lidera o faturamento do bairro, com expressivos 18% do total de faturamento do bairro.”, destaca André Dias, diretor executivo do Compre&Confie

A segunda diferença está na faixa etária: a idade média dos compradores de e-commerce em Moema é significativamente maior (41 anos) do que a registrada em Cidade Tiradentes (36 anos). Há uma participação importante dos compradores com idade acima de 51 anos em Moema (23,3% do total de pedidos), enquanto em Cidade Tiradentes o destaque fica com os consumidores mais jovens, de até 25 anos (21,7% do total de pedidos).

E, por fim, uma semelhança: as mulheres predominam como as principais consumidoras on-line em ambas as regiões (representam 57,9% em Moema e 60% em Cidade Tiradentes).

Forma de pagamento

O estudo mostra que não há diferença significativa no pagamento à vista. Ao todo, 57% dos pedidos feitos em Moema durante o primeiro semestre foram pagos dessa forma, índice que é de 52% em Cidade Tiradentes. A grande diferença está no pagamento a prazo: 29% das compras feitas no extremo leste são parceladas em quatro vezes ou mais, índice que é de apenas 19% em Moema.

“Enquanto os moradores do bairro com maior poder aquisitivo preferem pagar a prazo em menos parcelas, os moradores do extremo leste, quando não têm o dinheiro à vista, não têm o receio de fazer longos endividamentos para continuar consumindo produtos de maior valor agregado. É um forte reflexo do cenário atual do país”, destaca Dias.

, , , , , , , , ,
Post anterior
Black Friday se consolida como grande exemplo do omnichannel no varejo brasileiro
Próximo post
WhatsApp é a principal fonte de informação de 79% dos brasileiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu