fbpx

Compras on-line de itens de Beleza aumentam 67% em um ano

  1. Início
  2. Análise
  3. Compras on-line de itens de Beleza aumentam 67% em um ano

Compras on-line de itens de Beleza aumentam 67% em um ano

Levantamento compara faturamento das compras via E-commerce no setor durante o primeiro semestre de 2018 ante o mesmo período de 2019

Os tutoriais de beleza estão por todos os lados: dos rituais de cuidado com a pele até o passo-a-passo para a maquiagem perfeita, é difícil não se deparar com esse tipo de conteúdo pela internet. Como consequência, esse é um mercado que vem crescendo cada vez mais, especialmente no e-commerce. Um levantamento do Compre&Confie mostra que o faturamento das compras on-line no setor de Beleza teve aumento de 67% entre o primeiro semestre de 2018 e o mesmo período de 2019.

Ao todo, o faturamento registrado foi de R$ 1 bilhão este ano, reflexo dos 5 milhões de pedidos feitos em território brasileiro. O tíquete médio das compras foi de R$ 211,00, de acordo com os dados do Compre & Confie. No ranking de itens mais comprados, estão: Perfumaria (responsável por concentrar 36,1% do faturamento nacional), Produtos para cabelo (26,9%), Barbearia (18%), Maquiagem (8,1%), Produtos para a face (3,7%) e Outros produtos (7,1%).

“O setor de beleza é um dos mais fortes no e-commerce. Temos observado um aumento expressivo no consumo de itens desse segmento em todo o país, especialmente na região sudeste”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre & Confie.

Crescimento em São Paulo

Um exemplo desse crescimento está no estado de São Paulo. A região teve aumento de 74% no faturamento do setor, totalizando R$ 213,1 milhões no primeiro semestre deste ano. Ao todo, foi feito 1,04 milhão de pedidos no local (aumento de 32% em relação ao primeiro semestre do ano passado). Entre os itens mais comprados, estão: Perfumaria (responsável por concentrar 37,7% do faturamento total do setor na região), Produtos para cabelo (26,1%), Barbearia (16,1%), Maquiagem (6,5%), Nutricosméticos (3,8%) e Outros (9,8%).

, , , ,
Post anterior
FecomercioSP analisa atual momento do e-commerce e aponta principais entraves que impactam o setor
Próximo post
Fullfilment e Fullcommerce: o que é e quem contratar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu