fbpx

Comércio eletrônico registra 1,72 bilhão de acessos em dezembro e vê dança das cadeiras no ranking dos dez maiores sites

  1. Início
  2. Análise
  3. Comércio eletrônico registra 1,72 bilhão de acessos em dezembro e vê dança das cadeiras no ranking dos dez maiores sites

Comércio eletrônico registra 1,72 bilhão de acessos em dezembro e vê dança das cadeiras no ranking dos dez maiores sites

Relatório Setores do E-commerce da Conversion mostra que, após alta da Black Friday em novembro de 2021, audiência no mês seguinte retrai 14,76% e, pela primeira vez, lista dos maiores e-commerces tem forte volatilidade

Segundo dados do Relatório Setores do E-commerce, da Conversion, agência de Search Engine Optimization (SEO), os principais varejistas virtuais no País receberam um total 1,72 bilhões de acessos no mês de dezembro último, ficando próximo da média mensal de 2021 (1,75 bi).

Em relação ao mês anterior, período da Black Friday, dezembro teve uma baixa de 14,76% na audiência do e-commerce no Brasil, movimento dentro do esperado. De acordo com análise da Conversion, mesmo com o investimento e a demanda em queda em dezembro, alguns players trataram isso como oportunidade e cresceram, enquanto outros acompanhavam a tendência de queda.

Exemplo deste movimento é o Booking, que ganhou oito posições, assumindo a nona posição no ranking nacional do e-commerce, sendo o único do setor de Turismo na lista. Por outro lado, o Extra saiu do grupo dos dez maiores sites e perdeu dez posições no ranking. Destacam-se ainda na lista dos maiores sites Amazon e Shopee, que ganharam uma posição cada um; Shopee e Booking foram os únicos sites do top 10 a aumentarem a visitação em dezembro.

De acordo com o estudo da Conversion, a lista dos dez maiores sites é composta de:

  1. MercadoLivre
  2. Americanas
  3. Amazon Brasil
  4. Magazine Luiza
  5. Shopee
  6. Casas Bahia
  7. AliExpress
  8. Netshoes
  9. Booking
  10. Samsung

O relatório mostra que, em média, cada brasileiro acessou cerca de oito vezes sites de e-commerce no mês. Cada acesso, por sua vez, pode ter a visualização de muitas páginas. Os canais preferidos para chegar às lojas são “direto” (quando digita o endereço da loja e representa 44% dos acessos), busca orgânica (26,6%) e busca paga (19,4%). Tráfego de redes sociais representam apenas 3,1%.

Praticamente todos os setores caíram em dezembro, com exceção para o setor de Itens Automotivos, que teve alta de 2,96%, o que pode estar relacionado às férias e viagens de carro. As maiores quedas, entretanto, vêm de Eletrônicos & Eletrodomésticos (-24,06%), Cosméticos (-23,38%), Casa & Móveis (-21,39%), Esportes (-18,06%) e Marketplace (-17,37%).

Ranking dos dez maiores e-commerces do Brasil:

ranking ecommerce brasil

Baixe aqui o Relatório completo de Setores do E-commerce

, , ,
Post anterior
Gastos com materiais escolares via e-commerce alcança R$ 78 milhões em 2022
Próximo post
Infográfico: Brasil é o 3º país que mais consome carne no mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu